f
_

Boletim “Semibreves”

Newsletter #Semibreves/ Nov´21
ESCOLA ARTÍSTICA DE MÚSICA DO CONSERVATÓRIO NACIONAL

I. EDITORIAL
Ano novo, boletim novo.
A partir de Novembro de 2021, o nosso habitual Boletim “Semibreves” ganha dois formatos:
Semibreves [ Newsletter ]Mensal, composto por Comunicado da Direção, Agenda do mês e um par de artigos.
Para esta newsletter é convidado a participar, mais uma vez, qualquer membro da Comunidade Educativa da EAMCN, bastando para isso entrar em contacto através do endereço de email  semibreves.emcn@gmail.com
Semibreves  [Anuário ] Uma compilação de todos os trabalhos desenvolvidos durante cada ano letivo: concertos, masterclasses, exposições, etc. 
Esperando continuar próximos de toda a comunidade escolar e que estas edições continuem do vosso agrado.
Bom trabalho!
Bruno Cochat

II. DIRECÇÃO
Prezada comunidade escolar
Cá estamos para mais uma etapa!
Iniciamos o ano letivo com renovada confiança em termos de saúde, uma vez que Portugal cumpriu a meta, tendo a maioria da  população vacinada e a epidemia controlada.

As aulas presenciais, o recreio e a música, que preenche todo o espaço, trouxeram de volta a alegria dos tempos pré pandemia.
As turmas e os horários estão consolidados. Não é uma tarefa fácil, pois temos de conjugar  três regimes, o integrado, o articulado e o supletivo , sendo que os alunos do regime não integrado são provenientes de dezenas de escolas distintas, tendo cada uma  o seu horário.

A programação da EAMCN até dezembro já foi divulgada e vamos apresentar-nos em espaços novos. São salas privilegiadas, lindíssimas, fruto da parceria da EAMCN com a DGCP (Museu Nacional de Etnologia, Museu Nacional de Arqueologia, Museu Nacional do Traje), Centro Nacional de Cultura (Igreja dos Mártires), C.M.L. (Cine Teatro São Jorge) e Cooperativa Largo Alto (Igreja do Menino Deus).
Esperamos contar com a presença de todos.

Infelizmente os espaços destinados à EAMCN nas instalações provisórias não estão a ter a devida atenção por parte dos órgãos competentes. Tivemos muita dificuldade em acomodar todas as aulas, pois estamos sempre no limite. Não podemos privar os alunos de horas de estudo na escola e nem sempre conseguimos evitar estas situações.
Apesar da Resolução da Assembleia da República n.º 243/2021, de 11 de agosto, onde é dito que as condições necessárias para o ensino da dança e da música devem ser asseguradas enquanto o edifício da rua dos Caetanos não está disponível, não houve nenhuma atuação local ou melhoria de condições.
Até agora, o orçamento destinado à EAMCN no ano 2021 é o mais baixo de sempre.

A Direção, o Conselho Pedagógico, o Conselho Geral, a Associação de Encarregados de Educação, a Associação de Alunos, todos, em conjunto,  pedimos explicações e alteração das atuais condições junto da Tutela, pois estamos numa situação fragilizada, sem instalações adequadas e condignas de um Conservatório Nacional.

Apesar das adversidades, estas não serão  impedimento para a realização do nosso trabalho, pois os projetos da nossa comunidade escolar, tão interessantes e motivadores, são capazes de superar todas as dificuldades.

Cumprimentos a todos,

Lilian Kopke

III. ADRIANA FERREIRA  
FLAUTISTA


Adriana Ferreira, atualmente uma das flautistas mais destacadas a nível internacional, nasceu em Cabeceiras de Basto, onde começou a estudar flauta transversal na Banda Cabeceirense. Estudou então na Escola Profissional Artística do Vale do Ave, na classe de Joaquina Mota. Conseguiu uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian, onde integrou a classe de Sophie Cherrier, Vincent Lucas e Pierre Dumail no Conservatório Nacional Superior de Música e Dança de Paris, onde completou o Mestrado e o 3º ciclo superior, sob a orientação de Hae-Sun Kang.  Estudou ainda com Benoît Fromanger na Hochschule Hanns Eisler de Berlim e é licenciada em Musicologia pela Universidade Paris-Sorbonne. 

Em 2010 obteve o 1º Prémio, o Prémio da Orquestra e o Prémio do Júri de Jovens Flautistas no Concurso Internacional Carl Nielsen, na Dinamarca. Em 2013, é laureada no Japão com o 3º Prémio no Concurso Internacional de Kobe. No mesmo ano, obtém o 2º Prémio ex-æquo e o Prémio especial Coup de Cœur, no Concurso Internacional de Genève, na Suíça.

Colaborou com vários compositores e estreou diversas obras, entre as quais o Concerto para flauta e orquestra de Joaquim dos Santos, a si dedicado. Colabora regularmente com a Orquestra XXI, projeto criado em 2013 que reúne músicos portugueses residentes no estrangeiro. Juntamente com a pianista Isolda Crespi grava o CD Danse des Sylphes, assim como um CD para a coleção Falaut em Itália. Em 2016 apresentou um CD a solo com a Orquestra de Câmara de Genebra. 

Adriana Ferreira é atualmente flautista principal da Orquestra da Academia Nacional de Santa Cecília de Roma. Foi solista na Orquestra Nacional de França e flautista principal na Orquestra Filarmónica de Roterdão.



Adriana Ferreira já organizou várias masterclasses, encontros e recitais em escolas de música, nomeadamente na Escola Artística  de Música do Conservatório Nacional, tendo sido o primeiro encontro em 2013. Fez também masterclasses abertas a alunos de fora (alguns vieram de propósito do estrangeiro) em 2016, 2018 e 2020 e os recitais no Salão Nobre do Conservatório, onde interpretou obras a solo e com piano.


“Eu já assisti a um recital, uma masterclass e alguns concertos da Adriana. Gostei e aprendi muito com eles. Gostei especialmente do último concerto a que assisti na Fundação Calouste Gulbenkian, a tocar o Concerto de J. Ibert. Quando toca, a Adriana transporta-nos para a música e faz-nos senti-la de uma forma muito bela. A Adriana é sem dúvida uma grande inspiração para mim e espero um dia conhecê-la.”
Alice Barros Simões, 7ºC



IV. AGENDA NOVEMBRO/ DEZEMBRO