f y
_

VALOR E VALORES NA EDUCAÇÃO concerto/ conserto de ideias

 

 

Depois do primeiro concerto de ideias que decorreu na EMCN, coorganizado com a Unidade de Estudos sobre Complexidade e Economia do Instituto Superior de Economia e Gestão sobre o tema “Economia da Cultura e Cultura da Economia”, e tomando em devida conta a sua aceitação e participação, propõe-se agora a continuação da série de “concertos”.

Novamente provocamos o debate partindo de perspetivas aparentemente diferentes, e que não sabemos se podem ser conciliáveis ou mesmo compatíveis. Para averiguar dessa possibilidade contaremos com os nossos convidados e com o público. Do lado da economia existem diversas teorizações sobre o valor da educação, muitas vezes considerada como um investimento em capital humano, com custos monetários ou outros, no presente (tempo e dinheiro…) e proveitos futuros – rendimentos acrescidos para os indivíduos, ou mesmo mais crescimento económico para a economia no seu todo. Do outro lado, esta perspetiva económica é muitas vezes considerada redutora, por subordinar a educação, nomeadamente dos mais novos, a critérios de rendibilidade que chocam com outros objetivos, considerados até mais nobres ou importantes. E, entre estes, emergem os valores da cidadania, da solidariedade, da cooperação, da cultura e da elevação do espírito. Mais, a perspetiva económica da educação é por alguns considerada como perniciosa, por deformar os espíritos na devoção a Mamon, o demónio do dinheiro: torne-se ela preponderante e os valores serão destronados pelo valor, à medida que a concorrência individual exacerbada mina a própria ideia de sociedade.

 

Organização

Escola Artística de Música do Conservatório Nacional, departamento de atividades artísticas e interdisciplinares

Unidade de Estudos sobre Complexidade e Economia do Instituto Superior de Economia e Gestão, Universidade de Lisboa

 

Participantes

Alexandre Homem Cristo, colunista do “Observador”.

Francisco Louçã, professor de Economia, UECE-ISEG, ULisboa.

José Pacheco, fundador da Escola da Ponte.

Santana Castilho, professor e colunista do “Público”.

Moderador: Manuel Rocha, professor do Conservatório de Música de Coimbra.

 

Share